Curitiba!

Jardim Botânico

Finalmente um tempinho para contar sobre a minha última viagem de férias do ano, antes que o ano acabe. Local escolhido? Curitiba, cidade fofa, verde e que eu ainda não conhecia. 🙂

A primeira impressão ao chegar e que se confirmou durante a viagem: que cidade limpa! As ruas muito limpas mesmo, até no que podemos chamar de centrão da cidade.

Depois, que belezas de parques públicos! Árvores, árvores, árvores, flores e mais flores. O Parque Tanguá é realmente de encher os olhos de tão lindo. Um local pra passar o dia inteirinho, conhecendo os jardins, os lagos, fazendo caminhadas…  O Jardim Botânico, então, dispensa comentários.  Os bosques do Alemão e do Papa também são bem bonitinhos e valem a visita. A trilha de João e Maria, no primeiro bosque, é uma ótima opção pra levar a criançada.

O centro histórico também é uma graça e bastante convidativo. A feirinha do Largo da Ordem, que acontece todos os domingos, é uma opção pros amantes das feirinhas e souvenirs. Mas prepare as pernas porque a feira é imensa!

Ah! É no Largo da Ordem que você encontra também vários bares, entre eles o Bar do Alemão, tradicional e disputado por turistas e moradores da cidade. Lá tem vários tipos de chopps, claros e escuros, mas o mais famoso é mesmo o Submarino, aquele que vem com uma canequinha de Steinhaeger que você pode levar de lembrança.

Parque

E por falar em bares, a culinária local também é outra coisa maravilhosa. Desde os restaurantes mais arrumadinhos até a padaria de esquina próxima ao Parque Tanguá com seu pão e hambúrguer caseiro. E para quem curte a culinária italiana, a dica é visitar o bairro Santa Felicidade.

E para conhecer os vários pontos turísticos da cidade, nada melhor do que a Linha Turismo de Curitiba, uma linha especial de ônibus de turismo de dois andares que circula por toda a cidade.

Rua das Flores  Bondinho

Advertisements

Food Truck na Esplanada

Uma das coisas que mais acho legal aqui em Brasília é a quantidade de eventos ao ar livre e de graça que acontece na cidade. Nos finais de semana, invariavelmente, você tem uma gama de programas pra escolher, desde shows até corridas e eventos culinários, como o Picnik, Quitutes, e, recentemente, a moda de food trucks.

Pra quem ainda não conhece, o termo food truck é usado para aqueles restaurantes montados em trailers ou em kombis, em que os donos usam a criatividade para economizar nos alugueis caríssimos dos estabelecimentos fixos e, de quebra, ainda nos oferece algo diferenciado e mais em conta.

Então, se é divertido fazer coisas diferentes nos finais de semana, imagina durante os dias de trampo? Pois para quem curte essa moda deliciosa de comidinhas em caminhão e quer fugir um pouco da rotina, a dica é o encontro de Food Trucks que está acontecendo nesse mês, em plena Esplanada dos Ministérios. Toda quarta-feira de novembro, vários trailers oferecem menus gourmet a preços acessíveis.

Montado em frente ao Bloco K, o festival conta com diversos tipos de pratos e delícias, como comida mexicana, arroz carreteiro, hambúrguer, pizzas, tapiocas, pastéis, açaí, sucos naturais, cafés, bolos, além de pratos mais requintados como os servidos no Bistruck, por exemplo. Ah! Esse eu provei e recomendo muitíssimo!

Os trucks que estão marcando presença são: Bistruck, Burguer Truck, Arroz Carreteiro, Chilli na Rua, Açaí da Capital, DUF, El Perro Negro, Kombini Coffee Truck, Komboleria, Lilia Cupcakes, Pastéis da Tia Neuza, Quitanda Fácil, Shukran, Tony Street Food, Supreme Macarroni e Tapioca da Xica. Os trailers ficam lá das 9h às 19h.

Aproveita! Convida os amigos do serviço e corre lá. Quem sabe se com o sucesso do projeto ele não permanece mais tempo na Esplanada? Eu iria adorar… 🙂

foto (36)

Sobre votos e bandeiras

Acredito que carregamos as nossas próprias bandeiras políticas. E são elas que vamos cultivando, pegando gosto e nos inflamando em discussões por aí.

Pois bem, as minhas estão mais ligadas às questões sociais, minorias… É sobre isso que gosto de ler, escrever, conversar. É me baseando principalmente nisso que decido meu voto.

Eu não sou tonta. Sei muito bem que o governo Dilma empacou e muito as conquistas dos direitos das minorias, principalmente a LGBT e indígena. Sei também o quanto foi maléfico, para o debate das questões dessas mesmas minorias e para a proteção de nosso estado laico, os conchavos com a bancada mais retrógrada, a meu ver, do congresso nacional: a fundamentalista.


Porém, vocês não vão querer me convencer de que a melhor opção frente a esse quadro é o PSDB de Aécio, candidatura apoiada por políticos como Levy Fidelix, Pastor Everaldo, Feliciano, Bolsonaro, ou por figuras públicas como o Malafaia. Né?


Não. Eu escolho o lado apoiado por políticos como Erika Kokay, Jean Wyllys, Marcelo Freixo e Edilson Silva. Quem conhece as trajetórias desses sabe o respeito que elas merecem.

‪#‎MinhaOpinião‬ ‪#‎MudaMais‬ ‪#‎Dilma13‬

Levem o lixo de Brasília

picstitch
Acordei com esse retrato de Brasília hoje.

É triste andar pelas entrequadras da cidade e ver lixo por toda parte, como está acontecendo esses dias. Isso porque estou falando do plano, já que no entorno, como Ceilândia e outros, a situação é bem, mas bem pior. O lixo eleitoral do dia 05 está nas ruas até agora.

Vendo esse quadro, fica mais fácil entender a derrocada de Agnullo ainda no primeiro turno. E, antes que algum desavisado que não é do DF, passe por aqui gritando “Essa ‘petista fanática’ (a.d.o.r.o) não sabe mais  nem o que fala”, informo: Nullinho é do PêCêdoBê e candidato do PT aqui no distrito.

Não votei em Rollemberg no primeiro turno (votei no PSOL), mas voto nele agora e torço, muito sinceramente, para que ele consiga dar uma arrumadinha na minha mais nova e amada cidade 🙂

PS: Post roubado do meu facebook. Lá eu já comecei há meses a fazer campanha – com direito a avatar e foto de capa – para quem acho que precisa ganhar essas eleições: Dilma 13. Por aqui, vou começar a ‘petralhar ‘ agora =p Por isso o ‘petista fanática’.

Piri Piri

Piri2

Logo ali, pertinho de Brasília, encontra-se uma cidadezinha fofa e aconchegante que é de visitação obrigatória para quem gosta de mudar um pouco a rotina e encher a alma de boas vibrações: Pirenópolis.

Com ladeiras e ruas de pedras cercadas por casas em estilo colonial e singelas igrejinhas, além das inúmeras e refrescantes cachoeiras, a cidade tombada oferece um turismo bucólico, natural e histórico bastante agradável.

De manhã, caminhar pela cidade, visitar as cachoeiras e fazer um pouco de ecoturismo. Para quem é de aventura, as opções são várias, como rapel, raftin, tirolesa e boia-cross. Para quem é de cultura, vale aquele passeio pela cidadezinha histórica. E, claro, para quem curte uma baladinha, os vários bares e restaurantes oferecem música ao vivo, comidinhas regionais e cerveja gelada.

Melhor do que isso aí, só chegar à cidade, sem querer querendo, no período das cavalhadas, como foi o meu caso. Nessa época do ano, a cidade está transpirando ainda mais cultura e folclore, com muitos turistas, cores e música. Para quem não conhece, a cavalhada acontece sempre um mês e meio depois da páscoa e consiste numa encenação em que cavaleiros revivem lutas medievais envolvendo mouros e cristãos. Nas ruas, a gente esbarra em procissões de bandeiras, espetáculos, além das figuras folclóricas e seus cavalos fantasiados tirando fotos com turistas. Tudo muito lindo de se ver 🙂

Paz e amor nessas eleições, por favor ✌❤

Começou aquele período animado de campanha eleitoral. Época em que as redes sociais ficam beeeem agitadas e a gente começa a sentir algumas animosidades, digamos assim, entre pessoas com ideias mais divergentes e exaltadas.

Pois bem, quem me conhece sabe que eu adoro uma discussão política, principalmente quando se trata de compartilhar textos e opiniões no Facebook. Até porque acho importante expressarmos as ideologias nas quais acreditamos, discutir política, pesquisar e compartilhar propostas de candidatos. Isso é cidadania, minha gente!

Mas, em tempos de amizades dilaceradas por brigas em redes sociais, eu venho por aqui conclamar a mim mesmo a tentar brigar o mínimo no facebook, afinal, vão-se as eleições, ficam-se os amigos.

E, convenhamos, não dá pra negar que todos nós temos o direito de manifestar nossas opiniões, por mais contraditórias que outros possam as achar. Claro que aqui não se enquadram manifestações de preconceitos e ódio aos semelhantes.

Enfim, o meu desejo para esse período eleitoral é que ele seja construído a base de muita informação, e não difamação, muita troca de ideias, e não de ofensas, e que minha timeline esse ano dê um show de consciência política. 🙂

Bon bini a Curaçao ♥

 

Finalmente arrumei um tempinho para falar da deliciosa viagem a Curaçao, uma das Antilhas holandesas que me deixou encantada e com vontade de voltar urgentemente.

Primeiro, vale dizer que escolhi Curaçao porque queria conhecer o Caribe, mas não queria só praia. Estava a fim também de algo que tivesse um ar de cidadezinha diferente, para explorar, conhecer as peculiaridades culturais e, claro, feirinhas, lojinhas, aquela coisa de turista deslumbrada mesmo ahaha.

Pois bem, Curação agradou tanto pelas belíssimas praias, como pela fofa cidadezinha, colorida e com sua ponte móvel para pedestres que completa o belo visual caribenho.

Não fui ao local esperando muito luxo, atrás de resorts ou coisa do tipo. Um dos motivos pelo qual me dei tão bem em Curação. Primeiro, acertamos no hotel Scuba Lodge, que tem a maior cara de albergue, de tão colorido, agradável e sem frescura. Com um barzinho na beira da praia que funciona o dia todo, um quiosque com equipamentos de mergulho e o atendimento – e acolhimento – de jovens e lindos holandeses intercambistas, a estadia no hotel se tornou muito, mas muito agradável.

   IMG_20140423_210416

Mas falando das praias… Tem para todos os gostos, viu? Para quem quer azaração, praias “shoppinadas”, repletas de lojinhas, música e festas calientes até o dia raiar, a Sea Aquarium Beach é O point. Também tem a Jan Thiel Beach que oferece uma mega estrutura e conta com o Papagayo Beach Club, um clube e restaurante meio chiquezinho.

unnamed (2)IMG_20140422_123035

Agora, as mais liiiiiindas praias mesmo são as mais distantes e com pouca estrutura. Kenepa Grandi é certamente a mais bonita praia da região, com uma vista imperdível para fotos. Ela fica um pouco distante do centro, uns 40 minutos de carro, mas vale cada quilômetro rodado. :p Outras imperdíveis são Cas Abao, Porto Marie e até Playa Lagun, que é perfeita para snórkel. Aliás, não dá nem vontade de parar de fazer snórkel nessas praias super calmas e de águas mega transparentes…

Ah sim! Conhecer o centro de Punda e Otrobanda (os dois principais barros de Curaçao); passear pelas lojinhas; escutar um pouco a língua local, o papiamento; e sentar e tomar uma pina colada num daqueles bares, enquanto a ponte flutuante Queen Emma se move para os barcos passar,  também são coisas que, definitivamente, você não pode deixar de fazer em Curação 😉

Férias pra que te quero!

 1438122_29417256

Gente, não sei vocês, mas quando eu vou viajar de férias, faço uma pesquisa tão minuciosa do lugar e um roteiro tão organizado, que mais parece um guia de pacote de agência de turismo. E posso dizer que essa é uma das partes que mais curto da viagem. Acho tão bom descobrir previamente as curiosidades do lugar, ler dicas de outras pessoas sobre os melhores pontos pra visitar e, principalmente, chegar no destino e não ficar perdida ou acabar escolhendo mal os passeios.

Sei lá, acho que talvez eu seja muito metódica. E talvez também por isso, a parte que eu achava mais divertida ao “brincar de Barbie” era arrumar a casa. Passava hooooooras fazendo isso! (Ops, é, eu brincava de Barbie)

Mas, bem. Desta vez o destino é Curaçao. Eu não conheço nenhuma das Antilhas Holandesas, mas dentre elas, achei que Curaçao pudesse ser a mais interessante, por ter, além das belas praias, uma relevante parte histórica, cultural e arquitetônica.

Bem, vamos ver se eu acertei! 🙂

Brasília, Cidade-Pomar

Apelidada de roça por alguns, de cidade fria e apática por outros e de cidade sem esquina por todos, acho que Brasília consegue conquistar mesmo quem chega pra morar por aqui. Com tanta área verde, parques, ciclovias, eventos ao ar livre, é até difícil não sair pelo menos uma horinha nos fins de semana para pedalar, caminhar no parque, correr no Eixão do lazer e, porque não, catar umas frutinhas por aí.

Para a nossa alegria, além de cidade-parque, Brasília também começou a ficar conhecida como, digamos assim, cidade-pomar. A grande quantidade de árvores frutíferas é mais um bom motivo para andarmos por aí, experimentando as frutas espalhadas pela cidade: jaca, manga, pitanga, acerola, goiaba, amora, etc. E o que é melhor, tudo sem gastar um centavo.

E para registrar tanta variedade de frutas, uma estudante de Brasília criou o mapa de frutas urbanas da cidade, que daqui a pouco será usado como um novo guia turístico de Brasília.

Agora, com esse mapa e uma sacolinha na mão, a diversão está garantida. 🙂

Image